e-mail senha
Skip Navigation LinksInício > Depeche > Notícias > Detalhe da notícia
Depeche Mode ao vivo no Club Ciudad/Buenos Aires em 17/10/2009
Santa Gertrudes, 23 de outubro de 2009

 por:
 Jeanbong13 Campagner

Leia todos os detalhes, conheça o setlist, faixa por faixa, o que rolou no telão, quem estava lá, etc.

Comente esta notícia

Em primeiro lugar, gostaria de citar e agradecer as pessoas que foram fundamentais  para que essa viagem, fosse realmente perfeita:

 

José b. Salomão, Marcelo Pastel, Emerson Paiva, Andréa Leite, Luis Fernando & Denise, Eduardo & Alexandre Macedo, Luis Henrique (que gentilmente nos cedeu uma cópia do setlist original da Argentina, veja imagem ao lado) e Dênis.

 

Todos os outros fãs que encontramos no hotel, ou durante a viagem, foram importantes, mas os acima citados, têm muita importância, sejam pelas dicas, informações ou apoio. Obrigado também ao pessoal que tirou algumas das fotos, e que, não lembro os nomes... (rs....), mas, meus agradecimentos por eternizar momentos tão marcantes em minha vida...      

 

Chegamos ao club, beirando umas 14 horas, e já fomos nos acomodar beirando ao braço de extensão do palco, do lado direito prá quem fica na frente. Pegamos um lugar bom, não era na grade, mas diria que depois de uma pessoa, no máximo duas, estaríamos "na grade"...

 

O público foi chegando, começando a lotar, e lá pelas 17h30min entraram as bandas de abertura, lembro o nome de algumas: "Bicicletas", "Violador 6", "Banda de Turistas"...

 

Aquele problema de sempre: shows grandes não deveriam ter bandas de abertura, pois normalmente o público não quer esperar prá ver "os donos da festa"... (se ainda fosse, somente uma banda, mas prá meu desespero, além das programadas, ainda foi incluída - uma última - que pelo jeito deveria ser a "banda do momento" da argentina, pois o foi a única, em que o público cantou, pulou e começou a fazer um "empurra - empurra" deles....

 

Sobre isso, tenho a dizer que o público argentino, é quente, se diverte muito, mas infelizmente não tem respeito entre eles mesmos, pois essa brincadeira do empurra-empurra foi feita, inclusive, em quase todos os lugares do show do Depeche Mode, e sinceramente, não tem a menor graça... Não entendi até agora, como eles podem se divertir num show, tentando provocar confusão, o tempo todo...

 

Bandas de abertura a parte, apagaram-se as luzes, e no famoso "círculo 3d"  (que prá nós, foi um "círculo virtual, mas que dava praticamente o mesmo efeito), começou a aparecer as iniciais dm.... O público começou a entrar em delírio.... O show começou quase no horário previsto (por volta de 21h45min, eu acho), e aos barulhos da sirene/alarme, é iniciado o "start" do show, com a excelente "In Chains".... (adoro essa música e acho que ela é realmente a melhor faixa para a apresentação inicial dessa tour...), o telão ficou branco, aparecem as sombras do pessoal entrando no palco, êxtase total do pessoal ao ver a banda e o agradecimento do Dave, que por sinal, está de cavanhaque - tipo "sedutor latino" e o Martin com seus dedilhados, que ficam na nossa memória...

 

Os argentinos gritam "olé, olé, olé, Depê, Depê... (achei estranho, depois me acostumei...). Seguido pelo grande hit do álbum "Wrong", com direito a efeitos de luzes e telão, é um dos grandes momentos das músicas novas ao vivo... Aqui, o "empurra-empurra" foi ficando insuportável, pois além de ficar fazendo isso o tempo todo, ainda seguiam-se cotoveladas, etc. Nem os próprios argentinos, estavam contentes com a situação que estava acontecendo na multidão. (público estimado em 45 mil pessoas).

 

Mesmo assim, resolvi ficar e ver "Hole to Feed" , apesar da música ser boa, não achei que o público se empolgou tanto. No telão imagens da banda "em cascata", "repetidas". Uma coisa me chamou muito a atenção, acho que devido ao tratamento que o Dave tem se submetido, achei-o meio "magro", e também "se poupando" prá poder aguentar o show todo, afinal, ser o frontman da banda, tem seus prós e contras. Na metade dessa música, desisti de ficar na frente do palco, e fui para trás, prá ver se saia do empurra-empurra, pois eu queria ver o show até o fim, e  se tivesse ficado ali, com certeza iria passar mal, devido ao calor e as dores dessa brincadeira. Chegando mais prá trás, encontrei com a Denise (esposa do Luis do blog), e lá ficamos contemplado o show, com uma visão um pouco mais distante, porém, mais ampla, no quesito de pegar detalhes do palco, como um todo.

 

"Walking in My Shoes", é um dos pontos altos do show, o telão, o lance do olho virtual, o corvo... Enfim, uma das músicas que mais gosto, numa apresentação incrível, dave & martin, estão fazendo uma turnê, onde parece que o entrosamento dos dois, está ao máximo... Walking in My Shoes, é linda, adoro essa letra, e com certeza a apresentação da banda...

 

"It's No Good", é excelente, funciona ao vivo, Dave começa com suas tradicionais danças, jogos de luz, e imagens da banda no telão, tudo maravilhoso....

 

"A Question of Time", uma das músicas mais antigas, e das que mais gosto, performance clássica do Dave, com direito a rodopios, "mão na mala", e microfones prá platéia, é o delírio dos dois lados.... (todo mundo já deve ter reparado que "A Question of Time" é uma das preferidas do Dave, pois ele se dedica ao máximo nessa hora....)

 

"Precious", mesclando o lance de ir ao passado, e voltar ao presente, tem forte aceitação do público, ligado ao telão com as imagens da máquina de escrever, outro ponto forte com o público...

 

"Fly On The Windscreen" - outra das antigas, e uma das músicas que mais gosto do dm, começa com 6 círculos no telão, divididos em 3, os debaixo, ficam sempre numa cor, e os 3 acima, ficam com imagens da banda ao vivo no palco,  Dave como sempre esbanjando a sensualidade.... E  começo a reparar que o Martin, tem melhorado e muito a performance, estando mais comunicativo e participativo com o público nos shows.... 

 

Andy, prá variar, até parece mais animado do que o habitual, mas o visual "Elton John" faz com que eu, quase nem preste atenção nele.... Já Christian Eigner toca muito, e Peter Gordeno, eu diria que está se encaixando e melhorando ao DM, aos poucos...

 

Martin, mais simpático do que nunca, vem com sua linda voz, nos presentear com "Jezebel", imagens no telão, que parecem ser o lado normal, e do outro lado, a imagem em negativo, Martin, canta e encanta, seus dedilhados e solos nos convidam a dançar com ele...

 

E no final, ele vem a parte estendida do palco, e nos cumprimenta com uma agachada ali mesmo, onde rendeu fotos belíssimas, prá quem estava por ali.... Eu diria que foi um dos momentos inesquecíveis do show....

 

Mais surpresas estavam por vir... : numa inversão de setlist (normalmente seria "A Question Of Lust"), Martin e Peter Gordeno, mandam uma versão prá lá de intimista de "Home", com direito a aquelas esticadas vocais, tradicionais de gore....... Delírio, simplesmente linda...

 

No telão, praticamente o Martin, o tempo todo...

 

Não me recuperando dessa surpresa, outra inversão: no lugar da tradicional e linda "Come Back", eles atacam com "Miles Away" - fiquei surpreso, usando praticamente o mesmo vídeo de "Come Back", com algumas alterações....

 

Gosto muito dos vocais finais em "Miles Away" quando ambos ficam revezando a frase.

 

Outra troca: em vez de "Peace" (que eu gosto muito), em seu lugar, entrou "Policy Of Truth", no telão bolas coloridas, vão caindo, e Dave sempre fazendo suas dancinhas. Saudosismos a parte, já estava ficando assustado com as trocas no setlist a partir do meio do show....

 

"In Your Room", outra das minhas prediletas, nem preciso dizer que a essa altura do show, eu já estava completamente "your favourite slave"....

 

Sequência final de hits, antes do bis : "I Feel You", com imagens digitalizadas da banda no telão, "Enjoy The Silence" um dos hits mais esperados do público, cantado do começo ao fim, com aquele telão da banda vestida de astronautas, levou o público ao delírio, sem dúvida nenhuma, "a música" que muitos esperavam.... E fechando com chave de ouro "Never Let Me Down Again".... Com a famosa coreografia dos braços, que o Dave tanto ama (e o público responde muito bem), em erguer os braços e "flying high"..... No telão a banda, o público, enfim, tudo !!!

 

Fim, do setlist básico, mas ainda viriam agradáveis surpresas no bis....

 

A volta de Martin ao palco com Peter Gordeno, já indicava, outra mudança de planos : tocaram "Somebody", nem preciso dizer a emoção que senti, muitos sabem que essa, é uma das músicas favoritas, e que definitivamente, não estava nos setlists da turnê... Acredito que muita gente se emocionou com a versão e ficaram eternamente gratos com a surpresa que nos proporcionaram... O público em geral, cantou e adorou essa surpresa.

 

"Stripped" é perfeita, o público já estava em êxtase, no telão imagens da banda, e muitas luzes, divididas em várias partes....

 

Outra novidade : a volta de "Behind The Wheel" (Peter Gordeno melhorou o arranjo, graças a deus, pois em turnê anterior, estava muito estranha..... Agora, ficando mais próxima das originais), no telão imagens da banda, quadriculadas entre azul claro, azul escuro.

 

Finalizando o show, "Personal Jesus", no telão a banda em suas tradicionais poses de crucifixo, e muitas mulheres, detalhes de cinturas, costas, cabelos, etc. O público cantou e dançou o tempo todo, Dave apresenta a banda, que se abraça, e saem do palco. Fim do show.

 

Eu e a Denise, ainda ficamos esperando um pouco, pensando que eles voltariam realmente para encerrar com "Waiting For The Night" (tradicional encerramento dos shows, até então...). Quando vimos que o povo começou a sair, resolvemos ir procurar o "rei luis". (estava o máximo com a coroa, tanto que, antes do show, foi filmado e colocado sua imagem no telão!!!)

 

Em relação ao setlist básico, com as "trocas e surpresas", infelizmente, a banda acabou excluindo 2 músicas do setlist tradicional  (em geral tocam 22, e na Argentina, tocaram apenas 20).

 

Gostei demais da apresentação, o ponto negativo, (nem tão negativo assim, eu diria...) Foi o final "mais rocker", e "menos denso" que era provocado, com a apresentação de "Waiting For The Night" (queria realmente que o show terminasse mais lento...).

 

E a exclusão total do "telão utilizado" em "Strangelove", normalmente a banda usa o mesmo telão, e tocam outra música, quando há inversão. Nesse caso, acho que devido as fortes imagens desse vídeo (as duas meninas, em cenas de lesbianismo), acabaram  sendo totalmente excluídas e não aproveitadas em nenhuma das outras músicas. Uma pena.

 

Tirando o comportamento de empurra-empurra do público argentino, eu diria que o show, foi excelente. Mais uma noite prá entrar na história da minha vida. Uma das melhores noites de minha vida...

 

(e ainda tive um bônus, quando encontramos com Martin gore no aeroporto... Isso realmente fechou com chave de ouro a viagem...)

 

E digo: não importa onde estivesse, na grade, mais distante, longe ou não, o que vale realmente, é ter o Depeche no coração.

 

Sentir a emoção de estar lá, ao vivo, no show... Isso não há descrição que faça as outras pessoas entenderem o que é essa sensação.

 

Só quem foi ao show, sabe o que quero dizer: Depeche Mode é uma celebração do espírito, da alma.

 

Vida longa ao Depeche Mode !!!




 Tags
{América Latina} {Argentina} {Club Ciudad} {Depeche Mode} {Tour Of The Universe}

   
 Comentários
CIBELE :: 26 de janeiro de 2012
Lindo texto parabéns!!
Que sortudo encontrar o Martin, que invejaaaa, rsrsrs!!
Show maravilhoso como o de Barcelona, com exceção dos argentinos... tinham que ser argentinos,kkkk, esse 'empurra empurra' aqui no Brasil só em show de rock, rsrs! Bem, o principal é que vocês estavam lá pra ver o Depeche e que valeu muito e que muitos de nós gostaríamos de ter tido essa oportunidade, sua descrição foi fantástica..como se nós estivéssemos lá os fãs todos juntos! Mas Brasil...vamos aguardar que nada é impossível!!
Desculpa eu postar só agora, 2 anos depois...como já havia dito..não sabia que existia esse site
JEANBONG13 CAMPAGNER :: 10 de fevereiro de 2011
Ana Karla, Carlos, Tabita... fico muito contente que tenham gostado do texto. Tento sempre relatar o que vivenciei no momento. Um show do Depeche Mode ao vivo, realmente "mexe com a gente", podem ter certeza disso...
Alê, uma pena você não ter ido...
Grato pelos elogios, isso me dá força prá sempre escrever mais e detalhar os acontecimentos.
Abraços

ANA KARLA GOULART :: 9 de fevereiro de 2011
Jean,achei super,mega maravilhoso e te digo mais.Eu cheguei em buenos aires dois meses depois pois ainda não tinha voltado a recolocar o dm de volta na minha vida coisa que agora estaá completamente pq na verdade nunca saiu.O que gosto do seus comentários é que são super complestos e nos deixam antenados a qualquer novidade do dm.
Uu beijo e viva o DM!!!!
CARLOS CAMILO :: 7 de fevereiro de 2011
Jean...
Sem palavras... Sua descrição emociona.
Legal ter postado todas as fotos.
Ambas só aumentam a vontade de sentir tudo isso um dia.\o/
Abraço

TABITA VIEIRA :: 7 de fevereiro de 2011
Amei o seu texto, li mais que atrasado, mas adorei, enquanto eu lia, imaginava como se estivesse vivendo aquele momento. Muito legal compartilhar isso conosco e suas belas fotos. Adorei!
ALESSANDRO NUNES BERTONI :: 3 de maio de 2010
É uma pena que não pude estar lá.

 Novos Fãs
hoje0
ontem1
 Submarino

Siga-nos             

Baixe grátis o aplicativo oficial
no seu celular Nokia
UOL HOST hospedagem de sites.  Clique e conheça!
(v1.1.10.2)   Copyright © 2011 Alenbert Informática S/S Ltda